Sessão Especial em homenagem aos 50 anos de experiência que Paulo Freire realizou em Angicos-RN, de autoria do deputado Sidney Leite (PROS), em parceria com a Escola de Legislativo e UniAleam. (Fotos: Hudson Fonseca/Aleam).

O deputado estadual Sidney Leite (PROS), presidente da Comissão de Educação, Cultura e Assuntos Indígenas da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), em parceria com o Ministério da Educação (MEC), promoveu na tarde de terça-feira (3) no plenário Ruy Araújo, homenagem pelos 50 anos de experiência do educador Paulo Freire com alfabetização em Angicos ( Rio Grande do Norte).

Paulo Freire nasceu em 19 de setembro de 1921 em Recife, filho de Joaquim Temístocles Freire, capitão da Polícia Militar de Pernambuco e de Edeltrudes Neves Freire “dona Tudinha”. Sua família fazia parte da classe média, mas Freire vivenciou a pobreza e a fome na infância durante a depressão de 1929, uma experiência que o levaria a se preocupar com os mais pobres e o ajudaria a construir seu revolucionário método de alfabetização.

Por seu empenho em ensinar os mais pobres, Paulo Freire tornou-se uma inspiração para gerações de professores, especialmente na América Latina e na África. O talento como escritor o ajudou a conquistar um amplo público de pedagogos, cientistas sociais, teólogos e militantes políticos, quase sempre ligados a partidos de esquerda.

Para o deputado Sidney Leite, a solenidade do Amazonas marca o reconhecimento da revolução na forma de alfabetizar, que foi a experiência de Angicos, em 1963. “Com sua visão e experiência de vida, Paulo Freire conseguiu fazer com que 300 jovens e adultos fossem alfabetizados em 45 dias. Mais do que isso, entendeu que a educação é uma posição política de fazer com que o indivíduo tenha consciência da sua realidade, tornando-se sujeito da sua própria história”, destaca.

A sessão agrega ao calendário nacional de eventos do “Ano Paulo Freire” e contou com a presença da viúva do educador, a professora Ana Maria Araújo Freire, que neste ato recebeu uma placa, em memória, do professor discorrendo em seguida o trabalho e obra deixada pelo educador.

Durante a solenidade, a viúva de Paulo Freire, professora Ana Maria Araújo Freire, destacou a vida,obra e perspectiva do projeto política educacional de seu marido.

Entre os destaques do evento estava o encaminhamento da resolução do presidente da Comissão de Educação, Sidney Leite, que institui a medalha “Professor Paulo Freire” para escolas, instituições de pesquisas, universidades e personalidades que contribuíram para o avanço da Educação no Amazonas. Outra ação foi a inauguração da sala “Professor Paulo Freire” na Escola do Legislativo Senador José Lindoso. Além disso, será oficializado o Requerimento nº 6406/2013, do deputado Sidney Leite, para que o Governo do Estado batize um estabelecimento de Ensino do Amazonas com o nome de “Professor Paulo Freire”.

A importância da obra de Paulo Freire teve reconhecimento internacional, inclusive, pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), quanto à influência do educador na construção de um programa de Educação Humanitária.

Sessão Especial em homenagem aos 50 anos de experiência que Paul Sessão Especial em homenagem aos 50 anos de experiência que Paul Sessão Especial em homenagem aos 50 anos de experiência que Paul Sessão Especial em homenagem aos 50 anos de experiência que Paul Sessão Especial em homenagem aos 50 anos de experiência que Paul Sessão Especial em homenagem aos 50 anos de experiência que Paul