“A integração e o apoio da sociedade são apontados como alguns dos tópicos mais importantes para a elaboração de projetos públicos”. A informação é do especialista em auditoria, professor Ricardo Luniére, que ministrou o curso de Elaboração e Gestão de Projetos Públicos, promovido pelo programa Escola Itinerante de 17 a 19 de abril. Desenvolvido pela Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), por meio da Escola do Legislativo Senador José Lindoso, o programa quatro cursos à distância, em 2017.

Servidores públicos municipais de Manacapuru, Coari, Apuí, Lábrea, Nova Olinda do Norte, Novo Aripuanã, Humaitá, Ipixuna e Maués acompanharam as aulas ministradas no estúdio do Centro de Mídias da Universidade do Estado do Amazonas (UEA), e transmitidas pela internet para o interior. Com a tecnologia, que encurta distâncias e contribui para a divulgação de informações, os alunos aprenderam as etapas para criação de projetos públicos que verdadeiramente contribuam para o desenvolvimento de cada cidade.

Ricardo Luniére reforçou que a primeira fase da elaboração de um projeto público é ter a ideia clara do que se pretende realizar, qual a finalidade. Além das formalidades que são imprescindíveis, o apoio da sociedade, da estrutura funcional e apoio político são fundamentais. “Há projetos públicos que podem ser desenvolvidos e elaborados que não requer praticamente recursos públicos, envolvem a sociedade a tomar soluções, se sensibilizar por algumas questões como o lixo, o consumo de água racional, o uso de determinadas energias limpas. É importante o componente de integração e apoio dentro da estrutura pública fora também”, destacou.

O professor reforçou ainda que o projeto precisa ser: exequível, neste caso é importante o gestor responder a pergunta se ele pode ser realizado e se é economicamente viável.  Outra etapa é identificar se o projeto é socialmente desejável, se a sociedade realmente anseia por isso. Neste último, Luniére recomenda a consulta pública para ouvir a população e incluí-la nesta decisão. Ter profissionais capacitados e com envolvimento ou investir na capacitação de servidores é outra indicação do autor.

Por último a análise e acompanhamento dos resultados esperados complementam as recomendações do professor como questões fundamentais para serem observadas na criação de projetos públicos. Com otimismo e esperança, o professor finalizou reforçando que ações como da Escola do Legislativo, solidificam e contribuem para o desenvolvimento, levando informação e capacitando os servidores.