A prevenção ao suicídio mobilizou os deputados estaduais do Amazonas que, na manhã desta terça-feira (12), destacaram o fato de que o alto índice de incidência desse ato já se tornou um problema de saúde pública no país. Dados nacionais indicam que pelo menos 10 mil pessoas tiram suas vidas, por ano, no Brasil. O debate foi aberto pelo deputado Carlos Alberto (PRB), que lembrou a campanha mundial “setembro Amarelo” de alerta à sociedade.

“Precisamos unir forças em favor da vida. Precisamos combater esse problema com a prevenção. Precisamos discutir políticas públicas para a saúde mental no Amazonas, inclusive para a população infanto-juvenil”, disse o deputado que revelou que, dados do Sistema de Informação Sobre Mortalidade (SIM) do Ministério da Saúde apontam que o Amazonas possui dois municípios entre os dez com maior número de suicídios do Brasil: São Gabriel da Cachoeira e São Paulo de Olivença.

Em aparte, o deputado Luiz Castro reforçou a defesa da prevenção e do Setembro Amarelo – que inclusive será tema de evento que começa nesta quarta-feira (13) na Assembleia Legislativa, com palestras de especialistas sobre o assunto – destacando a necessidade de se criar instalações físicas para abrigar o um núcleo do Centro de Valorização da Vida (CVV). O CVV é uma instituição que atua nacionalmente realizando apoio emocional e prevenção do suicídio, atendendo voluntária e gratuitamente todas as pessoas que querem e precisam conversar, sob total sigilo, por telefone, email e chat 24 horas todos os dias.

Luiz Castro disse que foi procurado pela direção do Centro, em busca de apoio para instalar o mesmo no Amazonas. “O CVV precisa da boa vontade de cessão de uma sala, com telefone para receber as ligações e um mínimo de estrutura”, informou. O deputado sugeriu que Governo do Estado ou Prefeitura Municipal de Manaus (PMM) viabilizem esse espaço. “É um custo tão pequeno, para o resultado tão importante, que é salvar vidas”, argumentou.

O deputado Josué Neto também se manifestou e apoiou a iniciativa de se criar um local para encontros e discussões e atendimento. “Vamos trabalhar pela criação da Central de Prevenção ao Suicídio, que ficará disponível 24h para prestar apoio emocional às pessoas que precisam”, ratificou Neto.

O CVV já funciona em 18 Estados e no Distrito Federal com 80 postos de atendimento fixos e um on line pelo site www.cvv.org.br. O serviço envolve cerca de dois mil voluntários.