A Banda Blue Birds, uma das mais conhecidas bandas musicais de Manaus e do Amazonas, que nos anos 1970 e 1980 viveu uma fase de ouro nos clubes e bailes, concorrendo com Beatles e Rolling Stones, foi declarada Patrimônio Cultural de Natureza Imaterial do Estado do Amazonas, pela Assembleia Legislativa do Amazonas, nesta quarta-feira (6). O autor do projeto é o ex-deputado e hoje vice-governador, Bosco Saraiva (PSDB), mas o deputado Mário Bastos (PSD) foi quem favoreceu a titulação, já que assumiu a tarefa de subscrever o PL.

“No Legislativo, a votação de um projeto precisa ser acompanhada por seu autor. Nas reuniões do dia 30 de agosto e do dia 13 de setembro o então deputado Bosco Saraiva não esteve presente e, em outubro, ele assumiu como vice-governador do Estado deixando a Assembleia Legislativa. Em concordância com a homenagem justa e oportuna eu sobrescrevi o projeto de Bosco Saraiva, permitindo que ele continuasse tramitando e que fosse aprovado nesta quarta-feira (6)”, explicou Mário Bastos, depois  de defender a homenagem em plenário e lembrar dos velhos tempos dos bailinhos musicais nos clubes de Manaus.

A Banda Blue Birds se destacou no cenário musical amazonense ao lado de outras como Os Aristocratas, Os Embaixadores, The Sunshine etc, mas entrou para o hall da fama porque é a única entre todas que sobrevive até hoje, já tendo completado 50 anos de existência em julho deste ano. “É uma homenagem e um reconhecimento mais que justo. A Banda Blue Birds é inegavelmente um patrimônio cultural do nosso Estado que deve ser preservado”, defendeu Mário Bastos, destacando a luta dos jovens que em 1967 se uniram em torno de um sonho musical e aliaram seus talentos a uma instrução musical sólida e muita disciplina e amor à música. “Toda essa trajetória credencia a Blue Birds a ser nosso patrimônio cultural”, reforçou Mário Bastos, agradecendo a aprovação do projeto por parte dos demais parlamentares, que também elogiaram a homenagem.