Em Cessão de Tempo solicitada pela deputada Alessandra Campêlo (MDB), a coordenadora do projeto Vida Ativa, Valcilene Oliveira, representando o Fórum Permanente da Pessoa Idosa, utilizou a tribuna da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), para pedir aos deputados ajuda no sentido de que o projeto seja reativado ainda esse ano.

O Projeto ‘Vida Ativa’ atende o público da terceira idade, estimulando a prática de atividades físicas em prol da qualidade de vida e da autoestima da pessoa idosa, além de contribuir para sua integração social.

A coordenadora Valcilene aproveitou o momento para ler uma carta de apelo aos representantes do povo (deputados) e ao governador Wilson Lima (PSC) para que se sensibilizassem da situação e promovessem uma luta para que conseguissem seu intento.

A representante do Fórum Permanente da Pessoa Idosa, conta com o apoio da deputada estadual Alessandra Campêlo (MDB) que encampou essa luta. Alessandra assinalou que na quarta-feira (10), participou de uma reunião com o vice-governador Carlos Alberto Almeida, que sinalizou a volta do projeto ainda este ano, possivelmente, no mês de agosto.

De acordo com a deputada o único entrave é que este ano o governo está trabalhando com o orçamento aprovado em 2018. Já no orçamento de 2020, disse Alessandra, o governador Wilson Lima vai garantir todo o recurso necessário para que o projeto ‘Vida Ativa’ volte a atuar em sua plenitude.

Para a deputada o que está se tentando fazer agora é uma costura dentro do orçamento para garantir a volta do projeto, mesmo que não seja em sua plenitude neste primeiro momento, mas com o compromisso de que no mês de janeiro ele volte com toda sua intensidade.

Outro que utilizou a tribuna em nome de todos os idosos do Estado do Amazonas foi o senhor Salatiel Cirino, que assim como a senhora Valcilene, pediu aos representantes do Legislativo Estadual e do Executivo para que O projeto ‘Vida Ativa’ reinicie suas atividades e volte a atuar nas comunidades, pois as dificuldades são muitas para os idosos, principalmente, em relação a deslocamento, pois como se sabe o transporte coletivo da cidade é muito precário e dificulta o deslocamento das pessoas idosas.

 

Diretoria de Comnicação da ALEAM

Texto: Raimundo Nonato Lopes

Foto: Hudson Fonseca