O anúncio de fechamento da fábrica da empresa Sony do Brasil, instalada em Manaus, repercutiu entre os deputados estaduais durante a Sessão Plenária dessa terça-feira (15) na Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), que aconteceu de forma híbrida, de forma remota e presencial. O deputado Serafim Corrêa (PSB) culpou o Governo Federal pela instabilidade política e econômica que teria provocado a saída da empresa. “Essa decisão é definitiva. Eles não vão voltar atrás. As empresas multinacionais não podem ser vistas como inimigas pelo governo, temos que ter regras definidas”, alertou.

O deputado Adjuto Afonso (PDT) também comentou a notícia convocando as entidades de classe como a Federação das Indústrias do Amazonas, o governo do Estado e a bancada federal a lutar pela permanência da empresa. Afonso também ressaltou a aprovação do Código do Contribuinte que, segundo ele, vem para beneficiar os contribuintes do Amazonas e afirmou esperar que o governador Wilson Lima sancione a Lei.

Carlinhos Bessa (PV) solicitou ao governo do Estado a realização de concurso público para preenchimento de vagas de Bombeiros Militares, por conta do grande número de incêndios registrados no Brasil. De acordo com o deputado, hoje no Amazonas há cerca de 630 bombeiros na ativa, 164 no interior, 467 na capital e dentre esses encontram-se inúmeros bombeiros afastados do serviço. “Não existe um corpo de bombeiros efetivo para combater dois incêndios ao mesmo tempo. É preciso haver concurso para diminuir essa demanda”, declarou.

Dermilson Chagas (Podemos) reforçou sua denúncia de que o governo do Amazonas não está realizando exames de tomografia e ressonância magnética. O deputado afirmou que o governo não pode alegar falta de dinheiro. “Hoje o estado não está fazendo exames com sedação de nenhum tipo, por problemas no contrato com a clínica de imagens”, afirmou.

A deputada Joana Darc (PL) denunciou um caso, ocorrido na última quarta-feira (9), de assédio e tentativa de estupro de uma estudante de veterinária ocorrida dentro de uma clínica pelo médico veterinário Pedro Monteiro da Silva Jr. “A estudante não sabia que, ao aceitar o convite de prestar um plantão durante a madrugada, seria vítima de uma tentativa de estupro. Quando o caso foi exposto, outras vítimas denunciaram”, afirmou.

 

 

Diretoria de Comunicação da Aleam

Texto: Alessandro Cavalcanti

Fotos: Danilo Mello