O Presidente da Câmara Municipal de Presidente Figueiredo vereador Jonas Castro Ribeiro, Concede o Título de Cidadão Honorário ao Sr. Gerson da Fonseca Pinto. Gerson da Fonseca Pinto, Pastor da Igreja Evangélica Assembleia de Deus no Amazonas- Nação Galo da Serra, homenageado em diversas oportunidades, pelos relevantes serviços prestados à cidade de Presidente Figueiredo, ainda nos dias de hoje, com muita vitalidade e dinamismo, continua sendo um baluarte, servindo de exemplo a todos.

A escolha desta data é uma homenagem a criação do Corpo Provisório de Bombeiros da Corte, inaugurado em 2 de julho de 1856, no Rio de Janeiro, e sob o comando do major João Batista de Morais Antas. Oficialmente, o Dia do Bombeiro Brasileiro foi instituído através do decreto-lei nº 35.309, de 2 de abril de 1954. A partir desta mesma lei, também foi definido a realização anual da Semana de Prevenção Contra Incêndios. Antigamente, antes do Imperador D. Pedro II assinar o Decreto Imperial nº 1.775 que regulamentava o serviço de bombeiros, o badalar dos sinos era sinal de que homens, mulheres e crianças tinham que formar uma fila no poço mais próximo e assim, passarem baldes de mão em mão até chegarem ao local do incêndio. Parabéns a todos os bombeiros! O dia de vocês é todo dia!

🔷Nossos escritos A neurodiversidade e o orgulho autista No dia 18 junho é comemorado o dia do orgulho autista, um dia importante para a visibilidade do movimento dos neurodiversos. Neste dia as ações se concentram para que as pessoas que foram diagnosticadas com autismo sejam reconhecidas por serem diferentes e não serem vistas como uma doença de causa genética ou cerebral. Tornou-se comum usar a palavra neurodiversidade ou neurodiversos, para identificar as pessoas com autismo. A palavra apareceu pela primeira vez no livro da socióloga australiana, Judy Singer, que é portadora da Síndrome de Asperger, “Porque você não pode ser normal uma vez na vida?” de 1999. Já o movimento pró-autista, podemos dizer que começou um pouco antes, quando foram escritos os primeiros textos autobiográficos de autistas como Temple Grandin e Donna Willians. O movimento começou a se fortalecer nos EUA e na Austrália, principalmente depois do “boom” da terapia cognitiva ABA (Análise Aplicada do Comportamento – Applied Behavior Analysis).“Um dos pontos mais conflitantes diz respeito a que para muitos pais constitui a única terapia que permite que as crianças autistas realizem algum progresso no estabelecimento de contato visual e em certas tarefas cognitivas. Para os ativistas autistas a terapia reprime a forma de expressão natural dos autistas” (Michelle Dawson, 2004). O movimento dos neurodiversos fala de um funcionamento diferente dos tidos como “normais”, exclui a ideia de doença para aqueles que possuem um funcionamento cerebral diferente ou uma forma diferente de se relacionar com o mundo. Fala do autismo não como uma doença, mas como uma outra forma de subjetivação neste mundo e com isso abre a possibilidade para aqueles que dizem “sou autista” se estruturarem como sujeitos e não como doentes. O movimento combate a procura de uma cura para o autismo, pois isso seria dizer que eles são uma doença ou um tipo de câncer que precisa ser arrancado da sociedade, e é isso que o movimento mais tenta barrar, as pesquisas para a cura do autismo. ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀ #nossosescritos #garanhunspernambuco #psicologia #espacoisis